Esse blog tem como objetivo compartilhar e conhecer novas ideias sobre fetiches e assuntos relacionados sexualidade.

Translate

Chat Cornos e Afins

sexta-feira, 6 de julho de 2012

COMO TUDO COMEÇOU...

Fred:
 
Este relato foi uma homenagem (em 2002) que meu marido fez pra mim...
 
Beijos molhados,
Ruth
Leia a reportagem da Revista TRIP sobre mim:
 
=================
 
COMO TUDO COMEÇOU...
 

Ruth sempre foi exibicionista. Até onde vai a sua lembrança, começou desde os seus cinco anos de idade quando mostrava a sua rachinha para todos os meninos do prédio onde morava (em Florianópolis). Era a brincadeira que ela mais gostava: brincar de médico. Os meninos examinavam com muita delicadeza a sua bimbinha e ficavam passando a mão enquanto ela sentia ondas de "arrepios" (naquele tempo era arrepio!) em todo o seu corpo de menina. Os doutorzinhos tinham outras clientes, mas a melhor cliente era a Ruthinha que se desmanchava e não reclamava dos exames mais demorados e invasivos.

 

O tempo foi passando e as brincadeiras continuavam. Alguns pequenos médicos às vezes se mudavam deixando muitas saudades na sua clientela; no entanto, logo um outro doutorzinho tomava o seu lugar. A mãe de Ruth era super-rigorosa e a vigiava muito (talvez porque já pressentisse o potencial erótico da filha), mas a Ruthinha sempre dava um jeito de brincar com os meninos (sempre uns seis ou sete pequenos médicos). "Sempre fui levada da breca, brincar de médico é melhor que boneca..." essa música da Rita Lee viria a ser um hino à sexualidade da pequena Ruth.

 

Ruth não podia namorar, pois sua mãe não permitia e, no entanto, já tinha muito tesão reprimido que só aliviava nas suas masturbações freqüentes e intensas no banheiro e na cama na hora de dormir. Sempre cheirosa e higiênica provocava suspiros dos meninos que, no colégio, pegavam suas roupas de ginástica já usada e ficavam cheirando e esfregando no pau dizendo: "Que xoxota cheirosa, que delícia de suor...".

 

Ruth não gostava que os meninos fizessem isto na frente das outras meninas, mas ao mesmo tempo sentia prazer em saber que os meninos gostavam do seu cheiro e se excitavam com suas roupas. A vigilância e as proibições de Dona Juliana continuavam cada vez mais rigorosas e ameaçadoras. A única alternativa de Ruth era a masturbação, até que descobriu que um rapaz do outro lado do prédio ficava escondido olhando para sua janela. A partir daí, Ruth deixava sempre a janela entreaberta, acendia a luz e se masturbava de modo a garantir que ela fosse observada pelo rapaz tímido do outro lado da rua.

 

Até hoje, Ruth sente imenso prazer em se masturbar enquanto é observada pelos outros. E mais, sempre que surge uma oportunidade de praticar o gangbang (muitos homens com uma única mulher) ela pede que acendam a luz para que ela possa ser vista fazendo sexo com todos ao mesmo tempo (e vai ao delírio quando o quarto tem espelhos de modo que ela mesma, também, possa se ver!). E foi assim que Ruth se realizou ao conhecer as festinhas do SSC na quinta-feira; ficou agradecida aos muitos solteiros que a fizeram reviver seus deliciosos momentos de infância, com muitos carinhos e suaves toques em seu corpo (ela não gosta de tapinhas na bunda. Na verdade, ela detesta!).

 

Logo que chegamos fomos para o segundo andar (o cheiro de fumaça dos cigarros nos incomoda muito); andamos um pouco pelo ambiente e logo Ruth encontrou um cara que a conhecia de uma outra boate que freqüentávamos. Outros solteiros começaram a aparecer por ali também (acho que é uma coincidência, mas sempre acontece isso; é só a Ruth subir e logo depois um bando de homens sobe atrás dela!!!!). Depois de um brevíssimo bate-papo o cara começou a beijá-la e a passar a mão em seu corpo; logo descobriu que ela estava sem calcinha. Pediu que ela sentasse na cama e que o chupasse (pois ele já conhecia a performance da Ruthinha na outra boate).

 

Logo outros dois solteiros apresentaram suas credenciais e começaram a acalentar os meninos... Ruth não se fez de rogada; pediu que aumentassem a luz e começou uma sessão de "chupada de salto tríplice", enquanto ela chupa um, masturba os outros dois e assim vai alternando e dando conta de três ao mesmo tempo. Tiraram o seu vestido e a deixaram nuinha sentada na beira da cama. À medida que eles iam gozando, davam lugar para outros que já estavam na fila. Até que um deles, cheio de tesão vestiu o bruto com a camisinha e a pediu que ficasse de quatro; enfiou bem devagarzinho (a Ruth é muito apertadinha, tanto na frente, quanto atrás...), abrindo caminho com muita suavidade a fim de não estragar o "brinquedinho", como ela mesma diz! Logo os outros dois se posicionaram de modo que ela tinha dois paus ao alcance de sua boca, enquanto era devidamente penetrada com muita competência. Depois que o cara gozou, outro encamisado já estava pronto para o embate! E assim foram se revezando e a Ruth dando conta de todo pessoal que estava ali doido para chegar a sua vez...

 

Num dado momento, um cara sugeriu que se fizesse uma dupla penetração; o que a Ruth na mesma hora concordou (até porque, até então, era a sua maneira preferida de transar...). Um cara se deitou e Ruth veio devagarzinho por cima se ajeitando com muito cuidado, embora já estivesse bem dilatada pelos vários revezamentos em sua xereca. Quando ela estava devidamente encaixada, o outro cara que estava se preparando para a DP perguntou se ela queria fazer uma dupla penetração vaginal (DPV, para os íntimos!): "Quero! Só não sei se vai dar..... Aaaaaah, que delícia!", e assim ela teve a sua primeira experiência de DPV (agora, passou a ser a sua maneira preferida de transar...) e durante vários dias só falava nisto e contou para várias amigas, parceiras nesta trajetória do swing. Sentiu-se realizada, era uma das suas fantasias nas sessões de masturbação... Sentiu-se poderosa, por ter tido dentro de sua xana dois homens que gozaram ao mesmo tempo em que ela também gozou...

 

Copyright: CANTINHO DA RUTH

 

 

 



 

Um comentário:

  1. ATENÇÃO ESTOU UTILIZANDO NOVO E-MAIL E NOVO NÚMERO DE CELULAR VEJA A BAIXO:

    >>> fudedor.de.esposas.df@hotmail.com
    >>> (61) 8456-6055 Operadora OI.

    >> A melhor posição que curto comer mulher de CORNO é a seguinte:

    O corno por baixo de sua mulher num 69, o CORNO chupando a bucetinha dela e eu metendo a pica pra dentro da bucetinha dela.

    >> Quero ser fixo de algum casal, pois quero gozar bastante dentro da sua esposa para você meu amigo degustar do sabor da minha porra de dentro da buceta da sua esposinha.

    >>> Eu sou de Ceilândia, Brasília-DF sou comedor de esposinhas, procuro casais liberais, casadas, noivas,namoradas e solteiras. Adoro comer as esposinhas dos meus amigos na frente deles. Adoro gozar dentro da boca das casadas e mandar o CORNO limpar tudinho. Tenho 35 anos, qualquer casal que curta entre em contato comigo.

    >> OBS.: Favor não fiquem mandando mensagens para o meu celular, se quiserem me liguem pois sou comedor de esposinhas e não mensageiro. Curto real sou comedor nato.

    >>> FAVOR ME LIGUEM EM DIAS ÚTEIS POIS NÃO LEVO ESSE CELULAR PARA CASA.

    >>> Casais que procuram homem (macho) para sua mulher (esposinha) que sejam daqui do Distrito Federal ou que possam vir prá cá.

    ResponderExcluir